sábado, 31 de dezembro de 2011

Folhinha, a casa é sua!

Eis que vem chegando o momento da Folhinha começar a ser desfolhada! 2012 está aí, e ela não deixa de ser um calendário a cumprir sua missão, o seu papel. Em papel, mesmo numa era cercada de calendários digitais, no relógio de pulso, no telefone portátil, no computador, nos painéis das ruas... Ela terá sempre um carinho mais para além de informar o dia. Alguma coisa poética, das mais variadas: um desenho, uma pintura, um pensamento, uma fotografia, afinal, a poesia está em tudo, até mesmo nos poemas, não é mesmo? E são tantos! Dos mais variados. De gente que nunca havia escrito um verso sequer, a poetas consagrados, sem falar dos muitos que por fim saíram das gavetas. Escritos em Português, Mirandês, Inglês, Italiano, Francês, Galego, Alemão, Euskara, Grego antigo, Japonês, Língua artística, Latim, Espanhol, Português arcaico, Crioulo, Guarani, Hebraico, Língua Vulgar da Úmbria, Suahili, Tupi e o Dialecto da Francônia. Contando com o apoio digital deste “blog” teremos diversão diária garantida durante todo o ano e até esqueceremos que pesa sobre ele mais uma predição apocalíptica. Portanto, esteja à vontade, Folhinha! Acomode-se! Procure um bom lugar! Pode ser à mesa de cabeceira, na sala de estar, na escrivaninha, ou mesmo junto à outra folhinha, a do Sagrado Coração, na cozinha.


Quem ainda não tem a Folhinha Poética 2012 é só clicar aqui e seguir as instruções.

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Interactividade da Folhinha

Em 2012, o poema do dia será postado neste blog e, sempre que
 possível, um filme com a sua leitura feita por distintos intérpretes,
além de informações, tradução e curiosidades. Por isso pedimos aos
participantes que desejarem acrescentar links ou dados pessoais que
comuniquem. Grato. Divirtam-se.

sábado, 3 de dezembro de 2011

Em Olinda

A primeira apresentação da Folhinha durante a Fliporto de 2011  foi no sarau na calçada do Espaço Phenix, organizado por Simone Simonek e Christian Cunha. Convidados e transeuntes participaram animadamente da leitura dos cigarrinhos.



Outro encontro poético que marcou presença foi o Alt Fest, do poeta Tuppan, que foi até alta madrugada na varanda da Marisa. Pena que a bateria tinha ido abaixo. Mas restou uma fotografia.

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Em Nova Iguaçu

A apresentação da Folhinha Poética em Nova Iguaçu, organizada pela poeta Lírian Tabosa e a Biblioteca da Casa de Cultura foi no dia 27 de outubro. Apesar de ter tido apoio oficial de uma instituição o sarau foi bem à vontade e a palavra correu livre das 19 às 22 horas. Foi uma Fluminância! Viva a Baixada!

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Resultado da adivinha

Ninguém conseguiu acertar no passatempo "Quem toca com o Mané?" Veja o vídeo e desvende o mistério.


Saiba mais sobre o artista em http://pt.wikipedia.org/wiki/Paulinho_Nogueira

A Folhinha que ninguém ganhou fica para outra brincadeira.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Em Teresópolis

Só há um participante morador em Teresópolis, o poeta Márcio Esbérard...


...mas o lançamento no Shoping do Alto foi bem animado, acompanhado das guloseimas da Mania de Sorvete e com o apoio logístico de Alba Andrade Carneiro.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Portugal: faltam 1749 Euros

O João Sobreiro contribue com 5 Euros e oferece o pescoço da vaquinha, permitindo dar-lhe assim, um aspecto mais bovino!

O Jerónimo Cavaleiro, contribuindo com 5 Euro queria o rabo da vaca...mas esta parte, entre as mais requeridas já foi oferecida...Então...pelas tripas, a vaquinha agradece!

Portugal: faltam 1759 Euros

Milene Santos contribue com 5 Euros. Energia para a vaquinha que ganha em Resistência!

Portugal: faltam 1764 Euros

A vaquinha finalmente poderá andar!!!

O António Azevedo e o Pedro Gouveia contribuem com 10 Euros e oferecem respectivamente as patas da frente as patas de trás da nossa amiga!

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Portugal:faltam 1774 Euros

Dulce França e Ana Rita Bernardo contribuem com 10 Euros. Para não ficar desequilibrada a vaquinha arranjou o corno direito e o corno esquerdo!

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Portugal: faltam 1784 Euros

A Vanesca Mendes, voz vibrante dos Filodómicos, contribui com 6 euros e oferece o chocalho para a Vaquinha que de certeza agora não se irá perder!

Portugal: faltam 1790 Euros

O Pedro Afonso Pereira contribui com 10 Euros. Pela comoção a vaquinha derreteu uma lágrima para ele.

Portugal, faltam 1800 Euros

Mestre de rara simpatia lisboeta, brilhante gentleman de conversa astuta, o Chambel Santos contribui com 10 Euros para a nossa vaquinha . Devido a uma conversa interna, o cristalino da nossa ruminante é a parte da vaquinha que fica com ele.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

domingo, 18 de setembro de 2011

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Lançamento em Olhos d'Água

O lançamento de Brasília, ou melhor, do Distrito Federal, será em Taguatinga, QSC 25, Lote 01, Casa 02 Taguatinga Sul, no dia 24 de setembro, às 20 horas. Porém quem quiser e tiver a disponibilidade de um bonito passeio, pode participar do sarau em Olhos d'Água. Para ter um gostinho, olhe a foto.
Será na casa da Silene Farias, dia 17, às 19 horas. Quem puder leva um vinho ou uns bribotes. É fácil achar. Mais informações aqui no Panoramio Se, de todo não encontrar, procura o Planeta, o único taxista da cidadinha.

Adivinha

Quem toca com o Mané e, ao final, dá-lhe um tapa na orelha por ele ter estragado a música?
A primeira pessoa a escrever no comentário a resposta certa, ganhará uma folhinha, com frete pago e tudo. Arrisque.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Portugal faltam 1835 Euros

Ana Dias contribui com 10 Euros. O sorriso da vaquinha é para ela!

Portugal faltam 1845 Euros

A Rosa Correia, com toda a coragem requerida para quem acredita nos pequenos-grandes projectos, contribue com 20 Euros. O figado da Vaquinha é inevitavelemente dela!

domingo, 4 de setembro de 2011

CARINHOS

A nossa Folhinha Poética 2012 divulga nomes de pessoas, instituições e até mesmo empresas de serviços e de comércio, porém, trata-se apenas de uma cortesia devido a alguma ligação afetiva que os organizadores têm com os acarinhados, a nível pessoal ou por conta do histórico da própria Folhinha sendo que alguns nem tomaram conhecimento de tal.
Nenhum “merchandising” foi negociado. Todo o dinheiro utilizado na produção da Folhinha adveio da “Vaquinha”.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Como foi no Acre

Mais emocionante que o Lançamento da Folhinha n'O Casarão foram os desdobramentos que se sucederam na casa do Dinho Gonçalves, no atelier do Dalmir, numa noitada festiva com os amigos da Maiara Rio Branco, no aniversário do Kleber Barros Moura e, por fim, no bota-fora na casa da Fernanda de Castela.


Lançamento em BH


quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Brasil-Faltam R$ 450,00

A participante Selma Wandersman ofereceu uma das tetas, R$ 200,00. E que as tetas da Vaquinha sejam dadivosas e não tal qual as do poder.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Brasil-Faltam R$ 650,00

O participante Wiliam Leal oferece o Discernimento da Vaquinha, R$ 100,00, com a "Enorme capacidade da Vaquinha de produzir poemas lindos e das mais diversas origens".

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Brasil-Faltam R$ 750,00

O participante Francisco Dandão com R$ 50,00 mostra que uma das partes mais importantes da vaca é a bosta. Não só como o milenar fertilizante da terra mas também como o mais recente aproveitamento para gerar energia com o biogás.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Brasil-Faltam R$ 900,00

A Pricila colabora com R$ 250,00 e dá o RÚMEN, o que faz com que a vaquinha vá se tornando também didáctica pois, para quem não sabe, o rúmen é um dos quatro "estômagos"  da vaquinha, o maior deles e o que dá o nome para as vaquinhas de RUMINANTES.

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

se cumpriu


Esta simpática construção é o famoso O Casarão, o prédio ao lado é o também já conhecido "Que Porra é Esta?"  Aqui se deu o primeiro lançamento da Folhinha poética. Agora vamos para Belo Horizonte.

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Brasil-Faltam R$ 1.150,00

Nivaldo Mônaco Ábalos, que nessa é colaborador, mas que na próxima será também participante mais que activo, deu o fígado. R$ 60,00. E quem quiser saber o valor desse órgão, leia a Ode al hígado, de Pablo Neruda:

Modesto, organizado amigo,
trabajador profundo,
déjame darte el ala de mi canto,
el golpe de aire,
el salto de mi oda:
ella nace de tu invisible máquina,
ella vuela desde tu infatigable y encerrado molino,
entraña delicada
y poderosa,
siempreviva y oscura.
Mientras el corazón suena
y atrae la partitura de la mandolina,
allí adentro tú filtras
y repartes,
separas y divides,
multiplicas y engrasas,
subes y recoges los hilos
y los gramos de la vida,
los últimos licores,
las íntimas esencias.
Víscera submarina,
medidor de la sangre,
vives lleno de manos y de ojos,
midiendo y trasvasando
en tu escondida cámara de alquimista.
Amarillo es tu sistema
de hidrografía roja,
buzo de la más peligrosa profundidad del hombre,
allí escondido siempre,
sempiterno, en la usina,
silencioso.
Y todo sentimiento o estímulo
creció en tu maquinaria,
recibió alguna gota de tu elaboración infatigable,
al amor agregaste fuego o melancolía,
una pequeña célula equivocada
o una fibra gastada en tu trabajo
y el aviador se equivoca de cielo,
el tenor se derrumba en un silbido,
al astrónomo se le pierde un planeta.
Cómo brillan arriba los hechiceros ojos de la rosa,
los labiosdel clavel matutino!
Cómo ríe en el río la doncella!
Y abajo el filtro y la balanza,
la delicada química del hígado,
la bodega de los cambios sutiles:
nadie lo ve o lo canta,
cuando envejece o desgasta su mortero,
los ojos de la rosa se acabaron,
el clavel marchitó su dentadura
y la doncella no cantó en el río.
Austera parte o todo de mi mismo,
abuelo del corazón, molino de energía:
te canto y temo como si fueras juez,
metro, fiel implacable,
y si no puedo entregarme amarrado a la pureza,
si el excesivo manjar o
el vino hereditario de mi patria
pretendieron perturbar mi saludo
el equilibrio de mi poesía,
de ti, monarca oscuro,
distribuidor de mieles y venenos,
regulador de sales,
de ti espero justicia:
Amo la vida:
¡Cúmpleme! ¡Trabaja!
No detengas mi canto.

Portugal: Faltam 1865 Euros

Uma tal Elisa Marcato contribue com 15 Euro para a cauda da vaquinha, declarando que lhe serviria para bater na coinquilina que a incomoda todas as noites.

No entanto relembrou que o cabelo da cauda lhe podia dar jeito para garantir o "efeito xicote". Mais 5 Euros.

Coitada da amiga...

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Primeira fornada


Depois de muitas voltas e revoltas e muito cansaço, conseguimos por o pé na estrada rumo ao Acre para o primeiro lançamento da Folhinha. Eram 108 quilos espalhados em vários pacotes. Por sorte, em Brasília tivemos vários apoios. Primeiro, da Fernanda Nagem que nos apanhou na rodoviária e, junto com Sandro Silva nos levou pra lá e pra cá até ao aeroporto; depois, da Rosa Gomes, da Pousada Verdes Flores, que nos ofereceu um quarto para o repouso, e por fim, dos participantes Danilo de S’Acre, Dalmir Ferreira e Pitter Lucena que aceitaram dividir a bagagem. Assim, fica marcado para o dia 6 de Agosto, às 19 horas, em frente a O Casarão, o primeiro lançamento da Folhinha Poética 2012. Tudo muito informal, sem comes e bebes, mas com muita poesia.

sábado, 30 de julho de 2011

Brasil-Faltam R$ 1.210,00

Os extremos se encontram. O ciclo se fecha. O primeiro participante da Folhinha (Sandro Silva) juntou-se à derradeira participante (Fernanda Nagem) e oferecem o coração da vaquinha. Tal qual o deles, apaixonado. R$ 500,00.

Brasil-Faltam R$ 1.710,00

Os artistas de BH, Jorge Dissonância e Eliane, Cleo e Marta (todas as três Velozo) além de participantes, colaboram com R$ 300,00. São bocejos, suspiros e tudo mais que faz a deliciosa preguiça da vaquinha.

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Portugal: faltam 1885 Euros

Lost Soul colaborador da folhinha contribui com 20 Euros.

Durante a procura da própria alma encontrou-se com a alma da Vaquinha e perguntou-lhe se fosse ela que há tanto tempo procurava. A alma da Vaquinha respondeu-lhe: " Claro que sou eu! Mas não te esqueces que sou tua assim como de todos".

Foi assim que o Lost Soul, mesmo continuando com a sua pesquisa, ficou feliz por ter encontrado um pedacinho de alma para compartilhar com todos.

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Portugal: faltam 1905 Euros

O colaborador da folhinha poética Nuno Reis decide que quer contribuir no projecto e oferece 20 Euros.
Os "pequenos-grandes" gestos são o orgulho de sermos humanos. O peito da Vaquinha é inevitavelmente para ele.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Brasil-Faltam R$ 2.010,00

O participante Bab Franca colaborou com caetanas tetas divinas. R$ 50,00.

Portugal: faltam 1925 Euros

Mais uma participante! a Mara Maravilha contribue com 20 Euros e compra a rótula da Vaquinha. Por ser vegetariana decidiu comprar o osso, declarando que talvez num futuro lhe possa servir para jogar a criquete.

Nada se deita no lixo. E Inventar uma utilidade no que é considerado inutil nao tem preço.

terça-feira, 26 de julho de 2011

Portugal: faltam 1945 Euros

O Bruno Dias, participante e colaborador, contribue com 20 Euros e doa os olhos da vaquinha que já não precisa de óculos para ver que o mundo pode mudar!

Portugal: faltam 1965 Euros

O segundo participante da vaquinha portuguesa é o Sr. José Reis. Contribuiu com 20 Euros para comprar a língua. Agora sabemos que a nossa amiga fala a língua lusa!

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Brasil-Faltam R$ 2.060,00

O também participante Felipe Mazzei, que queria dar o rabo mas chegou atrasado, deu R$ 50,00. Uma costela.

Portugal: Faltam 1985 Euros

A primeira participante da vaquinha portuguesa é italiana, a Sonia Paoli. Assim que soube da vaquinha quis logo contribuir com 15 Euros.
Como sempre, existe alguém que te oferece o coração. E graças a ela, hoje a vaquinha tem batimentos cardiacos.

"Avanti il prossimo!"

Brasil-Faltam R$ 2.110,00

Anônimo colaborou com mais baba para a vaquinha. R$ 100,00. Vaca baba muito.

Brasil-Faltam R$ 2.210,00

Um colaborador ofereceu o outro chifre. R$ 50,00. Mas prefere ficar anônimo.

sábado, 23 de julho de 2011

Chegou a Portugal a "Vaquinha"!


Finalmente!!!!

Depois de muitas milhas percorridas, passando por amigos e pessoas conhecidas, chega directamente do Brasil a gloriosa Vaquinha!

Agora, conforme declarado no tratado de Tordesilhas, celebrado entre o Mané e a Tatiana, a tarefa dos amigos que moram na Europa, África Continental ou Ásia será recompor as partes desta simpática ruminante que, pelo esforço com que se manifestou no Brasil, merece que contribuamos todos para ela ser remodelada neste lado do mundo.

Objectivo deste milagre cirúrgico será mais uma edição da folhinha poética, que será entregue à gráfica mais barata que encontrei em Lisboa, no mês de Setembro.

Para lá chegarmos, precisamos que cada interessado vá ao talho.

Esta a primeira parte da lista lista das compras:

- Um autêntico peito português

- Uma importante narina italiana

- Um focinho oriental,

- Um elegante coxa africana,

- Um delicioso lombo alemão,

- Umas resistentes unhas francesa,

- E porque não...umas costelas balcanicas!


O preço total da Vaquinha é de 2000 Euros, valor que permitirá editar 500 cópias do fantástico calendario em folhas destacáveis.

Cada um contribua com que puder. Comprem para si, para o amigo, para a mãe, para a namorada, para o homem da padaria...sem esquecer que partilhando o prato terá mais sabor!

A ideia (A César o que é de César) vem do coração do nosso Mané do Café que achou boa ideia recolher 366 poemas de amigos de todo os cantos do mundo e escritos em todas as línguas.

A medida que as partes da vaquinha vão chegar, para que não se compre duas partes idênticas da mesma vaquinha, publicarei neste blog o nome da pessoa e da parte comprada.

Para receber o exemplar da folhinha mágica, mas também colaborar para a folhinha 2013 ou esclarecer dúvidas sobre o nome do talho, comuniquem comigo, enviando um e-mail para tatianapaoli@hotmail.com.

Que a notícia da vaquinha portuguesa ecoe pelos sete mares!

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Brasil-Faltam R$ 2.260,00

A colaboradora Fernanda Ferreira de Castela com R$ 200,00 deu o traque da vaquinha. Alguns podem supor que este é um traque muito caro, porém ele é valioso pelo seu simbolismo. Um dos grandes problemas actuais é o buraco na camada de ozônio cujos gazes intestinais aceleram o processo. Portanto a nossa vaquinha aproveita para nos lembrar da fragilidade do nosso planeta que não se aguenta nem com um traque de vaca.

Brasil-Faltam R$ 2.460,00

Mais da metade da vaquinha está feita. A participante Tatiana Cangussú deu um chifre de R$ 130,00 que não lhe vai fazer falta, pois ela tem dois, devido ao seu nascimento. Ela é taurina.

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Revisão da Folhinha

Allea jacta est!

A nossa parte já está feita. Hoje fizemos a verificação da arte-final. Agora é lá com os operários e as máquinas. A nosotros só resta bater na madeira: Credo em cruz, mangalô três vezes! E torcer para não acontecer nada com a rimbibaca da parafuseta, com a grampolha ou com o roservil de argola, que são pecinhas danadas para dar problemas, e assim podermos cumprir o primeiro lançamento que está marcado para O Casarão, em Rio Branco, Acre, no dia 6 de Agosto, Dia da Bomba e também da Revolução Acreana, tudo bem condizente.

Os poemas, que não param de chegar, estão sendo organizados para a Folhinha de 2013. Se o mundo não acabar!

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Brasil-Faltam R$ 2.590,00

O participante Raimundo Alberto deu a cabeça da vaquinha, R$ 100,00. Sem os chifres, quem os tiver que os dê.

sábado, 16 de julho de 2011

Brasil-Faltam R$ 2.690,00

Como eu falei no início da Vaquinha, antigamente o rabo era sempre a última parte a ser dada, hoje, a disputa é mais acirrada. Primeiro apareceu uma senhora que não quis se identificar; o Markus tomou um porre bávaro e disse que rabo de bêbado não tinha dono, mas é da vaquinha européia. O participante Felipe Mazzei disse que dá sem problema pois a quem tem o sangue dos Amaral, nada fica mal. Porém quem primeiro para além da vontade, meteu a mão no bolso, foram os participantes Thor Veras e João Veras que decidiram dar o rabo em conjunto. R$ 300,00. Tal pai thor filho.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Participantes da Folhinha

Ufa! Hoje a folhinha foi para a gráfica! Está em boas mãos, nas do Pedro, da pré-impressão, que aproveitou e enfiou um poema da sua lavra que estava guardado há muito só à espera de uma oportunidade, o que nos valeu na última hora para substituir o único dos clássicos que estava ali sem nenhum outro propósito que não fosse o de “cumprir calendário”. Ao pessoal da Editora Arka, de Viçosa, o nosso agradecimento pelo carinho com que está tratando da folhinha, que, para além do seu operário conta ainda com Adelaide Monteiro, Ademir José da Silva, Adilson Dias, Adriana Cardozo, Affonso Romano de Sant’Anna, Agnelo Regalla, Agualusa, Airton de Castela, Alberan Moraes, Albert Einstein, Alberto Cunha Melo, Alex Alverga, Alfredo Pirucha, Alfredo Sorrini, Alice Ruiz, Ana Jerónimo, Andreia Macedo, Ângela Calou, (Carmina Burana), (nheengatu-português), Antero Valério, António Gualdyno, António José Cravo, Antônio M. Barroso, Antônio Miranda, Armando Pompermaier, Arthur Rimbaud, Attilla József, Avelino Gamelas, Ayan D. Duarte, Ianah B. Franca, Bab Franca, Barão Homem de Mello, Bempop, Benedito Cunha Melo Benjamin Sabat, Beth Lins, Betho Rocha, Beto Brasiliense, Binho Marques, Brisa Marques, Bruna Lombardi, Bruno Dias, Caio Junqueira Maciel, Calçada, Camões, Canção acreana, Carla Freire, Carlos Antônio, Carlos Eduardo, Carlos Gondim, Carlos Kawahara, Carlos Latuff, Carlos Marighella, Carmen Fossari, Caró Lago, Cassiano Nunes, Cassiano R. Santos, Catarina Rebelo, Catitu Tayassu, Cesar Garcia Lima, Chaguinha, Charles Baudelaire, Chrys Chrystello, Cícero Fernandes, Ciro Costa, Cláudio Carneiro, Clenilson Batista, Cleo Velozo,Constança Ralha, Corrinha Coutinho, Dallas Dean, Dalmir Ferreira, Daniel Duarte, Daniel Novik, Daniel Vieira, Danilo de S’Acre, Dante Alighieri, Davi, Delmo Fonseca, Diego Passos, Dina Salustio, Dinho Gonçalves, Dio Costa, Djalma Stüttgen, do Além, Dom Dinis, Dom Hélder Câmara, Dom Pedro Casaldáliga, Dona Peta, Dorly Neto, Dossant, Edith Lobato, Edmilson Figueiredo, Edna de Araraquara, Édson de Vulcanis, Edson Nequete, Eliakin Rufino, Eliana Castela, Eliane Velozo, Elias Júnior, Elio Moreira, Elione Angelim Benjó, Eloí Elizabet Bocheco, Embaixador do Kal’s, Espíritos Livres, Fábio Ribeiro Lima, Felipe Mazzei, Fernanda Morais, Fernanda Nagem, Fernando Barroso, Fernando de Castela, Filipa Leal, Filipe Nunes, Filomena Cabral, Firmino Bernardo, Flávia Perez, Flaviana B. de Castro, Fran Pessoa, Francesca Mainetti, Francis Mary, Francisco Andreoli, Francisco Braga, Francisco Dandão, Francisco Estêvão, Francisco Niebro, Francisco Ruivo, Fred Brasiliense, Gaia, Gedivan de Albuquerque, Geir Campos, Giancarlo de Aguiar, Gil Vicente, Giulietta P. de Azevedo, Hamilton Faria, Hassan O. Ali, Haze Corrender, Helena S., Heloy de Castro, Henrique Carioca, Homero, Inti, Isabel Figueiredo, Ivan Marttins, Jacó Filho, Jacqueline Durans, Jeferson F. da Fonseca, Jerônimo, Jessier Quirino, Jica (Jair B. Nascimento), Joa de Arievilo, João das Neves, João Gollo, João Maiara, João Paulo Sales da Silva, João Veras, Jon Luz, Jorge, Jorge Amaral de Oliveira, Jorge Carlos, Jorge Dissonância, Jorge Lauten, Jorge Salomão, Jorge Sousa Braga, José Fanha, José Fernando Nandé, José Luís Costa, José Mário Silva, Jose Martí, Júlia Teixeira, Kaka Werá Jecupé, Kikha Danttas, L. Barthô , Laio, Lápide, Larissa Castela, Laura Machado, Leila Oli, Leonízia de Castela, Letícia Gabian, Licia Pizzi, Lírian Tabosa, Liz Ferreira Teixeira, Lost Soul, Luciana Gayoso, Luciano Frigeri, Lúcio Flávio, Luiz Milhafre, Luiz Roberto Guedes, Machado de Assis, Maiara Rio Branco, Mané do Café, Mano Melo, Manoelídio R. de Oliveira, Manoel Herculano, Manuela Margarido, Marcelo Girard, Márcio Esberárd, Márcio-André, Marcos Afonso, Margarida Correia, Marguerite Yourcenar, Maria Amélia Gomide, Maria Aurora Homem, Maria da Luz Correia, Maria Dimas, Maria do Carmo Molone, Maria do Céu Guerra, Maria Isabela G. de Souza, Maria João Macedo, Maria Mamede, Mariana Bienhachewski, Marie Alix de Saint Roman, Marília Bonfim, Mário Alberto, Marisa Vieira, Markus Döllinger, Marluce, Marta Medeiros, Marta Velozo, Martinus van Beek, Mauricio Gonçalves, Mauro Mota, Max Arondello, Michael R. Burch, Miho Itano Mikel Balboa, Millôr Fernandes, Miriam Portela, Miryam Both, Moacyr Sacramento, Mônica Colares, Monique Jullien, Mucio Sa, Muro, Naelton Elias de Souza, Natália Parreiras, Naylor George, Nêga, Neiva Nara, Nicolas Behr, Nilda Dantas, Nilson Muniz, Nilton Brito de Amorim, Nina Flor, Noel Rosa, Nonato do Piauí, Normélia Pinho, Nuno Reis, Ondjaki, Óscar Grave, Paola D’Agostino, Para-choque, Parlenda popular, Paula Wenke, Paulo Roberto, Paulo Seco, Parede de república, Pedro Augusto Teixeira, Pedro Borges, Pedro Godinho, Peter Groenendijk, Pedro M. C. Alves, Petrarca, Pijama & Pantufa, Pitter Lucena, Pichação, Play MC, Poeta de Meia-Tigela, Policarpo Nóbrega, Quevedo, Rachel Mourão, Raimundo Alberto, Raimundo N. da Rocha, Ramalho Ortigão, Raul Pinto, Reilly Gabriel, Reynaldo Jardim, Ricardo Kelmer, Ricardo Tomaz Alves, Robélia Fernandes, Rogério do Carmo, Ronaldo Rhusso, Ronaldo Zenha, Rosa Mãe, Rosália Milsztajn, Rosângela Nascimento, Rosanna, Rosemary Pimentel, Rubia Margot de S. Costa, Rui Werneck de Capistrano, Rui Zink, Rute Barbedo, Ruy Espinheira Filho, S. R. Tuppan, Salvo Parrinello, Samuel Cruz, Sandro Pereira da Silva, Sanitário público, São Francisco de Assis, Saramago, Scott Johnsonn, Selma Wandersman, Sérgio Fernandes, Sérgio Fantini, Sergio Souto, Sérgio Taboada, Seu Betinho, Shakespeare, Shirley Íria, Silas Correa Leite, Silas Rodrigues, Silene Farias, Silvana Batista, Sílvio Margarido, Sílvio Mendes, Soares Feitosa, Solane Passos, Sônia Arruda, Sueli Ventura, Talita Oliveira, Tapume, Tânia Ferreira, Tânia Moura, Tânia Vidal, Tatiana Cangussú, Tatiana Confiquatro, Tatiana Paoli, Tatiana Viégas, Te Rauparaha, Teixeira de Pascoaes, Teodoro S. Mongelós, Teresa Pallazo Conti, Théo Bondolfi, Théodore Aubanel, There Mainel, Thor Veras, Tiago Parreiras, Tito Pires, Vasos de manjerico, Verdureiro Poeta, Victor Hugo, Viton Araújo, Vitor MartinhoVitória F., Viviane Balau, Walt Whitman, Wânia Lília Viana, Wiliam da Cruz Leal, Wiliam Farnesi, Xose Lois Garcia, Zé Cordeiro e Zé do Mato.

terça-feira, 12 de julho de 2011

Brasil-Faltam R$ 2.990,00

O Danilo de S'Acre, participante, lembrou-se bem que uma vaca sem baba, não é vaca. Menos R$ 100,00.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Brasil-Faltam R$ 3.040,00

O poeta Márcio Esbérard, participante e atento, colaborou com R$ 50,00. A Vaquinha agora tem alma.

sábado, 9 de julho de 2011

Brasil-Faltam R$ 3.090,00

Carlos Kawahara, participante e colaborador e Terezinha Zanata colaboradora do participante e também da folhinha, dão R$ 200,00. Só não sei se é a picanha ou o contra-filé. Vai ter samba e churrasco em Nictheroy!

quinta-feira, 7 de julho de 2011

terça-feira, 5 de julho de 2011

Brasil-Faltam R$ 3.790,00

A dona Giselda deu viscerais R$ 1.000,00. Vamos ter uma buchada completa.

Brasil-Faltam R$ 4.790,00

A participante Wânia Viana deu R$ 50,00. Uma parte do contra-filé.

Olha ela aí!



A vaquinha começou
- A primeira pessoa a manifestar a intenção de colaborar com a impressão da nossa Folhinha foi a Bruxinha, como é conhecia a escritora Francis Mary, que também participa da Folhinha. Mas ela esqueceu-se de nomear a parte destinada.
- Outra participante, a Tatiana Cangussú quis colaborar, mas procurou por engano, o site da Benfeitoria, com o qual estávamos tratando para ser a ferramenta da nossa vaquinha.
- Por fim, o poeta Ruy Espinheira Filho, também participante ofereceu os quatro mocotós e R$ 80,00. Dos R$ 5.000,00 (Cinco mil reais) que precisamos, só faltam R$ 4.920,00.
- O fotógrafo e participante Raul Pinto oferece uma teta, mas com o valor em euros, portanto, isso é lá com a vaquinha portuguesa.
- O poeta da Francónia, Markus Döllinger, custou perceber isso de fazer vaquinha e de dar o rabo, mas aceitou ser colaborador para além das duas participações na Folhinha, uma em português e outra na sua língua natal. É mais uma para a parte portuguesa.
- Fernanda de Castela, que é só colaboradora, pois não conseguiu encontrar o seu poema engavetado há muito, ainda não decidiu o que vai dar.
- O poeta Poeta de Meia Tigela, cabra bom lá do Ceará, participante e colaborador, diz que os R$ 80,00 que destinou equivalem a um ou dois pensamentos ruminantes da nossa vaquinha que com isso passa a faltar R$ 4.840,00 para se completar.

Observação importante: Tem gente querendo dar meio rabo, um terço do rabo ou um ou dois ossinhos do rabo. Não pode! O rabo só pode ser dado inteiro. Quando você vai ao açougue, o talhante não lhe vende meio rabo, pois não?

Por outro lado, teve um que queria dar dois rabos. Pode ser, um para a vaquinha brasileira e outro para a portuguesa.
E obrigado!

A fermentação da Folhinha

















Do Tejo bar, em Alfama, a idéia atravessou o oceano e veio a tomar corpo em Viçosa, nas Minas Gerais. O estalo se deu enquanto se esperava o começo de uma apresentação musical no espaço cultural Flor & Cultura, meio a barulhada das caixas de som que mal deixava a conversa fluir, mas ainda assim, ali recebeu a primeira contribuição. Exatos nove meses após, ela recebeu a última, ainda em Viçosa. Nesse período, ela rodou o mundo. Foi-se municiando através dos saraus da vida, do Corujão da Poesia e da Música, da OPA - Ocupações Poéticas, da Terça Cult do Espaço Cultural Correia Lima, de um encontro em Nova Iguaçu, da Semana Literária do colégio Gênesis, do quiosque Splash e de muita gaveta revirada. Espalhou-se tanto que obrigou a que se fizesse a edição no Brasil e em Portugal para facilitar a sua distribuição.






E aí está ela! À módica quantia de 30 reais. (os colaboradores pagam só 20 reais). Uma antologia suigeneris que reúne poemas em várias línguas e linguagens, mistura autores novos com os já consagrados e gente que nunca havia escrito uma linha, que tem poemas feitos por crianças, versos de porta de sanitário público e de para-choque de caminhão, poemas de amor e contestatários e jocosos e... enfim, uma surpresa a cada dia começado.




Obs: Ainda não se tem o valor da edição portuguesa. Mas a emoção é a mesma.

sábado, 2 de julho de 2011

Como fazer uma vaquinha.

Já pouca gente se lembra como se faz uma vaquinha, ou melhor, como se fazia uma vaquinha, pois hoje ela é feita através da Internet, nos moldes mais ou menos parecidos com as antigas, feitas entre os amigos da rua, os colegas da escola ou do trabalho, a família. Pois então vamos rememorar:

Quem dá alguma coisa para a vaquinha, há que dizer o que está dando, atribuindo a importância da sua oferta: “Eu só posso dar pouco, dou um pé!” ou “Eu posso dar muito e vou dar um pé, pois pra mim é uma das partes mais importantes. E eu adoro um caldo de mocotó!” Mais: “Eu sou pobrezinho, vou dar um chifre.” “Eu sou milionário e vou dar um chifre, pois sei muito bem o quanto ele custa caro!”

Dê o que você quiser e atribua-lhe o valor que achar conveniente e lembre-se de que muitas coisas compõem a vaquinha. Há quem dê o mugido, o coice... já soube de gente que deu a tristeza da vaca, que sem ela não haveria ruminantes.

É bom não se esquecer que há a vaquinha e o seu universo. Por isso pode-se dar também a madeira para o curral, o feno, o sal... Ah, e as partes internas também. O fígado, as tripas, o coração...

O problema antigamente, para se completar a vaquinha, era que ninguém queria dar o rabo que ficava sempre por último e a pessoa infortunada era gozada por bom tempo. Hoje - "Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades..." - parece que será a parte mais cotada.
Pois seja à antiga ou à moderna, vamos ver quem vai dar o rabo!

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Vaquinha à moda antiga

Nem precisou muito matutar para chegarmos à conclusão que a colecta seria mesmo com “c”. Porém, antes, terei que me explicar melhor, já que depois da última notícia sobre a Folhinha, houve participante que ficou a pensar que deveria contribuir com algum dinheiro. Mudarei o parágrafo para que fique bem claro.

Os participantes não têm que pagar nada, visto que a jóia mais cara da Folhinha é a sua obra, da qual ele se dispôs sem auferir nenhum lucro nem cobrar direitos autorais. Quem tem que dar dinheiro é o colaborador, ou seja, quem quer encomendar adiantadamente os seus exemplares ou simplesmente contribuir. Claro é que se algum participante tem boas condições e vontade, pode agir também como colaborador. E, mais ainda, se o participante deseja auferir algum ganho com a folhinha (afinal pertence a ele) é só entrar em contacto e viabilizaremos uma maneira. Sem melindres, pois nesta terra, é paisagem freqüente um poeta a precisar de uns trocados para o pão. Sendo esta mais uma vantagem do participante que tem direito a um exemplar e poder adquirir quantos quiser ao preço de colaborador.

Cada exemplar terá o preço de venda de 30 reais. Para os colaboradores (participantes ou não) será de 20 reais, mais despesas de envio.

Para o lado Leste da nossa linha de Tordesilhas ainda está sendo feito o orçamento. Mas assim que sair, avisaremos.

Então, vamos à metodologia da Vaquinha:

A mais resumida possível. Trata-se apenas de compra antecipada ou oferta. O que está representado pelo valor. A cada 20 reais ele tem direito a uma folhinha. Exemplo: José da Quantas - 45 reais. Tem direito a 2 exemplares e ofereceu 5 reais. Obrigado.

O andamento será sempre actualizado no Blog, no qual o colaborador pode dar o nome, divulgar a sua empresa ou os seus avatares ou participar anonimamente.

Link para o blog http://folhinhapoetica.blogspot.com
Edição portuguesa: tatianapaoli@hotmail.com
Edição brasileira: manedocafe@gmail.com

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Notícias da Folhinha

Amanhã é o último dia da Folhinha. No primeiro dia de julho ela irá para a gráfica. Portanto, se houver algum reparo a ser feito no que foi enviado ou se ainda vai enviar, é a última chance. Apesar de estar completa ainda há muitos dos clássicos para dar lugar aos novos. Pode mandar o que for preciso a qualquer hora, pois passarei a noite às voltas com um ataque da bronquite e com a arrumação da folhinha.
Por ter participante de todo o Globo, o que faz com que a distribuição se torne muito complicada resolvemos dividir a produção. Uma edição será feita no Brasil e outra em Portugal. A edição em Portugal estará a cargo de Tatiana Paoli. Nós fizemos uma espécie de Tratado de Tordesilhas: o que estiver a Oeste das Ilhas Cabo Verde cuida o Mané, o que estiver a Leste, cuida a Tatiana. Entonces, se você mora na Europa, África Continental ou Ásia, para receber o exemplar a que tem direito ou se quiser encomendar ou colaborar com a brincadeira, comunique-se com a Tatiana tatianapaoli@hotmail.com
Está em estudo a participação da Folhinha em “sites” de colaboração mútua. Um no Brasil, www.benfeitoria.com e um na Europa, www.massivemov.com que terá início em julho. Isto porque chegamos à conclusão de que a velha e boa “vaquinha” seria a melhor solução para esse imbróglio em que me meti, ou melhor, nos metemos. Se não conseguirmos entrar nas virtuais, partiremos para a colecta à maneira antiga, com o “c” de antes do acordo.
Bem, iremos dando notícias sobre o andamento das coisas. Agora, mãos à obra! Terminarei a tarefa nem que a vaca tussa. A vaca e eu.

sábado, 25 de junho de 2011

Folhinha na recta final

Na próxima semana a Folhinha irá para o prelo. A pescaria que começou em Viçosa, MG, no dia 30 de Setembro e terminará no dia 30 de Junho... E, pá! Não é uma pescaria, é uma gestação! Pois bem, a pescaria resultou numa das maiores colectâneas que se tem notícia e, sem dúvida, a mais ampla e democrática. Uma mistura de estilos, temas, línguas e linguagens que pode até não agradar a alguns, mas não deixará ninguém indiferente. Quando fizer o fechamento, no dia 30, enviarei os nomes dos participantes.
Pedimos que cada participante comunique o endereço para onde devemos enviar o exemplar que cada um tem direito.
A gráfica que melhor preço nos oferece, fará 1000 exemplares por mais ou menos 5000 reais e não adianta alguém encontrar uma mais barata, pois já é uma questão de carinho, ainda mais porque é uma gráfica de Viçosa, MG. Com a vantagem de que será fiado, mas tem-se que pagar no final.
Comunicamos também que o preço de cada exemplar para venda será de 20 reais (mais porte) para os colaboradores e de 30 reais (mais porte) para o público em geral.
Agora que a brincadeira ficou boa, temos que descobrir uma maneira de pagar ao homenzinho da gráfica.
Irei dando notícias.
Obrigado por participarem desta aventura. E não se esqueçam de comunicar a morada.
Um afago.

sábado, 18 de junho de 2011

A cara da criança



Está ficando linda! Em papel reciclado, pois apesar do mundo se acabar, as árvores não têm nada com isso.

Por dentro está ainda mais bela. Pudera! Com mais de trezentos pais e mães entre vivos e mortos. Dia 1 de Julho irá para a mater... para o prelo.


Mande a sua obra até dia 30.







sábado, 11 de junho de 2011

Festa Mano Melo








O poeta Mano Melo, que também faz parte da nossa folhinha, está lançando um novo livro e... olhem que não é coisa de se perder! Ele sozinho já é uma festa, acompanhado de um livro então, nem se fala! Para quem não conhece o Mano Melo, ele foi quem comeu a Madona e ainda mostrou o caminho a Ana Carolina.
















sábado, 28 de maio de 2011

Livro na praça







O Wiliam que participa em dois dias da nossa Folhinha, pois se expressa em dois idiomas, está lançando o livro Coisa Nossa - Contos do Interior do Brasil. Pode ser lido em E-book ou em papel. compra pelos sites
da Biblioteca 24 horas ou da Amazon. Saiba mais sobre o livro no blog do Coisa Nossa. E comprem! Além de se divertirem também ajudarão a nossa Folhinha, ainda que indirectamente.




segunda-feira, 16 de maio de 2011

Com Jorge Salomão

Num encontro com o poeta Jorge Salomão para discutirmos o rol de participantes que foram colocados à revelia, além da grande ajuda dispensada ele também me convenceu a editar uns quantos exemplares para compensar tanto gasto e trabalho, não vendo nisso nada que enfeiasse a empreitada. Portanto, procuro parceria. Há ainda muito trabalho, mas o mais pesado já passou. Lá vamos com 327 dias preenchidos.
Obrigado Jorge.
Obrigado participantes.
E obrigado a quem mais vier.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

O burrito poeta

Ia o burrito em Divinópolis, toc, toc, toc, toc, muito
entusiasmado, levava no alforge carta do Jorge
para A. Prado. Que erva bem ele queria!
A Dona teria fava? Quanto mais fresca, melhor!
Mas fava não recebeu, logo nada comeria,
vingando-se como pôde,
lançou um zurro e correu!
Que tristeza a do vate, pintor de extrema beleza!
Nada receberia daquela importante tia!
De narina acesa, bufou, ajeitou a canga ao dorso
e, ganhando lanço, jurou:
"Quando for poeta um dia, darei fava ao burrico,
enviarei um textito, para alegria do Jorge,
que de mim bem falou, à Amiga portuguesa,
ela longe, eu aqui! "
...Que a fava, encravada, pela lonjura do caminho,
não chegou; mas chegaria, feito aquela da Prado:
nada lhe não daria aquela tia!
Quase se engasgara o burro:
mastigava, deliciado, a carta!!!

Abraço: o poema há-de chegar (Quando eu for importante, pedirei ao meu agente que lhe envie cantiga), desde que o não coma o burro poeta! É viver e aprender, caro Amigo!
Filomena Cabral

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Resposta da Adélia Prado

Estava à espera de uma carta, mas recebi um E-mail. Não da autora, mas da agência sua representante. Eu, achando que a mulinha do carteiro de Divinópolis estava doente, daí a demora, já estava para aplicar o princípio "Quem cala, consente!" Mas uma editora a qual eu havia solicitado a morada da autora repassou o pedido para a agência. E agora tudo depende da própria Adélia Prado ou do diálogo que ora temos com a agência, descritos a seguir:

[olá Jorge,
tudo bem?
o meu nome é Míriam, trabalho na Agência Riff e nós cuidamos das obras da Adélia Prado.
eu preciso de algumas informações sobre o projeto:
o calendário será impresso ou será utilizado apenas na internet?
se for impresso, quantos exemplares vocês pretendem imprimir?
como serão distribuídos os calendários? serão utilizados textos de outros autores no calendário?
aguardo seu retorno, ok?
muito obrigada!
um abraço,]
[Cara Míriam
grato pelo pronto atendimento.
O calendário está sendo preparado para impressão bem barata tipo bloco com folhas destacáveis. Comprometi-me a oferecer pelo menos um exemplar a cada participante o que irá proporcionar uma aventura quase tão grande quanto a de coleccionar 366 poemas para preencher o ano bissexto de 2012. Quanto à distribuição, temos dois pontos a observar: o primeiro é que não há a pretensão de venda, farei mais ou menos 300 exemplares para ofertar aos participantes; e, segundo: se não tiver o dinheiro necessário para tal, farei 500 exemplares e colocarei 200 exemplares à venda para cobrir as despesas. Outrossim, gostava de saber qual o custo para uma edição comercial de 1000 exemplares, isso numa hipótese muito remota.
Obrigado.
A seguir, mais informações sobre o andamento do projecto.
A idéia inicial é a de incentivar a escrita e de libertar os poemas engavetados e também conter os de artistas publicados desde que manifestem o interesse em participar da brincadeira. Dos conhecidos já contamos com a participação de Afonso Romano de Sant’Anna, Paula Wenke, Alice Ruiz, Bruna Lombardi, Ruy Zink, Marisa Vieira, Xosé Lois Garcia, Paulo Seco, Filomena Cabral, Rosália Milsztein, Marcelo Girard, Brisa Marques, Filipa Leal, Marie Alix de Saint-Roman, Rosa Lobato de Farias, Agualusa e, ainda a espera da resposta, Mia Couto.
Esta “era” a idéia inicial, pois que depois de um dos organizadores da Folhinha (eu) querer satisfazer um gosto pessoal e convidar Adélia Prado, abriu precedente para que outros participantes (e havemos de convir que são os “donos” da Folhinha Poética) para que também se lhes fizesse os gostos. Sendo assim, eu, enquanto organizador, elaborei uma selecção que pudesse agradar à maioria (alguns dos quais são representados pela RIFF).
Algumas escolhas foram feitas por mim à revelia, porém tive o cuidado de procurar observar a história de vida ou o teor da obra do escolhido, na intenção de ter argumentos de defesa por usar os seus nomes e as suas obras. O que já gerou alguns episódios engraçados como quando me deparei com a dificuldade de encontrar quem pudesse autorizar a utilização de um poema do bandido assaltante Lúcio Flávio ao que um amigo advogado disse se não seria o caso de aplicar a máxima “Ladrão que rouba ladrão tem cem anos de perdão!”
Perdoa-me por estender sobremaneira os esclarecimentos solicitados, mas estou pensando em pedir a colaboração de vossa Agência na divulgação dessa empreitada.
Então, vamos lá:
O projecto teve inspiração no “Poemário”, editado pela Assírio Alvim, de Portugal. Cuja diferença marcante seria a de incluir poetas nascentes e desconhecidos numa mesma colectânea, já que uma composta apenas por novatos a própria Assírio Alvim já havia feito em 1986 com o “Calendário de poetas não publicados”. Outra diferença é a que a nossa Folhinha se utiliza da língua original, não se servindo de traduções. O que gera um aspecto lúdico para o usuário que se vê forçado a descobrir o significado (tarefa que se torna agradável mesmo com a utilização da Internet).
A metodologia aplicada está sendo a da “Bola de neve”. Vai-se passando palavra... (acredito que aqui a Riff seria de grande ajuda). O critério de escolha é o de ordem de chegada. Quando o participante envia mais de um, aplica-se o infalível método “Uni-duni- tê...” O mesmo critério é aplicado para os “convidados”.
Existe ainda uma lista com os sheakesperaes, os dantes e os pessoas da vida que farão parte do calendário caso não se consiga os 366.
Algumas editoras já manifestaram interesse no projecto, o que por um lado seria bom, posto que poder-se-ia oferecer um número maior de exemplares a cada participante e até algum dinheirinho como pagamento de direito autoral; por outro lado, seria mau no caso de haver ingerência na obra que pretende ser o mais ecuménica possível.
Devido à dificuldade que tive para entrar em contacto com a senhora Adélia Prado, escrevi-lhe uma cartinha que reproduzo a seguir, a título de curiosidade: (...)]
[Cara senhora Míriam

abri mão dos autores representados pela Riff, mas gostava de poder contar com o Amor Feinho, da Adélia Prado. Se pudesse ter a resposta pessoal dela, é possível?
Grato]

Uma coisa é certa: só podemos contar com quem deseja participar da aventura ou com quem temos alguma intimidade, nem que seja uma cachaça que tomamos juntos no botequim da esquina. Nenhum que possa trazer chatices! É pena, pois Cecília Meireles fica de fora.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Folhinha Poética - poemança